Informativo

Saiba mais sobre o projeto do Terminal Intermodal Profeta Gentileza

A Prefeitura do Rio inaugurou, na sexta-feira, 23 de fevereiro, o Terminal Intermodal Gentileza. O terminal conecta os serviços do novo BRT Transbrasil, às Linhas 1 e 4 do VLT (Veículo Leve sobre Trilhos) e a ônibus municipais. A estimativa do terminal é atender cerca de 150 mil pessoas por dia.

O Terminal Gentileza possui dois andares. O térreo é dedicado à chegada de todos os modais. Na parte superior estão bilheterias, banheiros, 80 lojas e sala de espera. O terminal é totalmente acessível. São três passarelas (Rodoviária, Rua São Cristóvão e Avenida Brasil) e mais um acesso pela Avenida Francisco Bicalho. O terminal faz parte do legado dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos de 2016.

O projeto do terminal foi realizado pela RAF Arquitetura, em parceria com equipes da prefeitura. Em 2023, o projeto recebeu prêmio do Instituto de Arquitetos do Brasil na categoria Edificações e Projetos. Sócio fundador da RAF Arquitetura e vice-presidente do CAU/RJ, Anibal Sabrosa contou alguns detalhes sobre o projeto.

“A premissa do projeto era utilizar as estruturas metálicas do Centro Internacional de Transmissão construído no Parque Olímpico. Também não haveria climatização. Então criamos vários corredores para direcionar a circulação das pessoas, com ventilação cruzada. Na cobertura, utilizamos telhados shed, que permitem a passagem de iluminação natural e saída do ar quente. A utilização deste tipo de telhado remete aos armazéns portuários da região. Outra referência foi a utilização de aço corten, usado em navios. Buscamos utilizar os elementos locais para requalificar a área como um todo”, explicou Sabrosa.

O terminal foi construído no terreno onde ficava o Gasômetro de São Cristóvão, o que também inspirou o projeto. “Outro simbolismo é que construímos uma estrutura cilíndrica para reservatório de água e rampa para o mezanino, com iluminação de LED, fazendo alusão aos tanques de gás. A estrutura fica no começo da Avenida Brasil dando boas vindas para quem chega. No outro sentido, voltado para a Avenida Francisco Bicalho, como proteção das passarelas, que ficam acima de vias expressas, utilizamos chapas perfuradas com textos do profeta Gentileza, criando uma espécie de pórticos dos dois lados”, contou o arquiteto e urbanista.

O nome e o projeto do terminal fazem referência a José Datrino, o Profeta Gentileza. Ele ficou conhecido pelos escritos que eternizou nas colunas dos viadutos do Gasômetro e da Perimetral. A mais famosa delas é a frase “Gentileza gera Gentileza”, que compõe a identidade visual do Terminal Gentileza.

Em relação ao paisagismo, todo o entorno do terminal foi impactado. Ao longo da Avenida Brasil, foram plantadas várias árvores e instalados equipamentos urbanos, como bancos, pontos de ônibus, etc. Como os modais que chegam ao nível da rua, para evitar evasão ou invasão de pedestres pelo nível das plataformas, foram criados bolsões verdes, sem calçada, no entorno imediato do terminal. Ao longo da plataforma dos ônibus circulares, há um canteiro largo, com área drenante, que contribui para o sistema de drenagem da região.

O investimento na construção foi próximo de R$ 300 milhões por meio da Parceria Público Privada (PPP) do VLT do Centro, sendo R$ 257,8 milhões financiados pelo Banco do Brasil para a reestruturação do sistema do BRT.

*Com informações da Prefeitura do Rio

MAIS SOBRE: Terminal Gentileza

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

OUTRAS NOTÍCIAS

Arquitetura Indígena: “a moradia indígena é a primeira casa brasileira”, diz José Portocarrero

Reviver Centro: a ocupação e a relação com o tempo

Projetos de Lei buscam tornar calçadas mais acessíveis